A importância da Mineração de Criptomoedas

A nova geração que já nasceu na era digital, pode estar perdendo uma informação relevante em relação ao entendimento de criptomoedas, principalmente quando falamos de mineração. E esse texto, pode ajudar em algumas tomadas de decisões.

  • Você nasceu quando a Internet já existia? Para você esse texto é educativo.
  • Você viu a Internet nascer através da linha de telefone fixo estatal? Para você o texto será complementar.
  • Você gosta de montar computador? Esse texto é oportunidade de negócio!

Explicando a diferença entre o Hardware e Software

Continue lendo… Não é tão simples a resposta, mas será bem didática até eu chegar a falar no título dessa matéria.

Em termos gerais, o hardware é a parte física de um sistema. E o software, é a ferramenta virtual para operar a parte física de um sistema. Um não vive sem o outro. Com a ajuda do software, você pode operar o hardware do seu sistema.Essa dependência um do outro é tão grave que você não chega do ponto A ao ponto B em menos tempo sem um transporte, sem um carro, por exemplo, correto?

O Hardware são as peças

O hardware é o carro. O software é você. E entre você e o carro que está em movimento, existe uma infinidade de peças, sistemas físicos mecânicos para fazer o hardware andar.

Além disso, temos inúmeras automações do hardware, como por exemplo, levar a gasolina do tanque para dentro do motor e com uma faísca, gerar uma explosão controlada, para que os pistões continuem se movimentando, para que assim, o carro continue andando. Essa, é parte do hardware. E ele tem que estar perto do perfeito. Na computação. O hardware tem que estar sempre perfeito.

O software é o programa

Porém, quem decide a força, a velocidade, momento de frear, de trocar a marcha e focar a atenção na ultrapassagem, é você. O software! Quem tem a garantia de que o hardware está em pleno funcionado e pode executar funções com 98% do sistema operacional, é você também! Como se você fosse um Sistema Operacional, como o MacOS, Windows ou Linux, que também são softwares. O hardware pode ser o seu corpo. E o Sistema Operacional, o software. A sua mente! Acordou agora?

Existem profissionais que amam hardware, que é o meu caso. E profissionais que amam o software. E o antigo analista de sistemas, ama os dois. Uma equipe bem equilibrada, precisa desses três profissionais. É o tipo de sociedade que mais dá certo em relação a custo/benefício para as empresas que terceirizam a parte de T.I.

Mineração de Criptomoedas

Para que eu envie bitcoins da minha carteira para você. Eu preciso da blockchain que é o nome da tecnologia que faz esse tipo de processo como se fosse uma agência bancária, só que com uma única moeda específica, que nesse exemplo, é o bitcoin.

Seu eu quiser enviar para você R$100,00 em bitcoins, é essencial que essa ordem fique registrada em algum lugar muito seguro, porque é uma transação única! E para isso acontecer, tem que ter máquina! Tem que ter computador! É preciso ter mineradores perfeitos. Tem que ter Hardware!

Introdução à mineração de criptomoedas

O termo conceitual “mineração”. Não será explicado nessa matéria. Aqui eles são simplesmente “computadores de criptomoedas!”. Peço licença poética técnica ao leitor mais experiente.

E o principal hardware que faz a parte física/computacional de uma transferência são “computadores” dedicados a uma única função chamada “minerador de criptomoedas!” ou “mineração de criptomoedas!”

Abaixo, você vê – talvez pela primeira vez – um explorador de blocos. Este, é o Blockchain.info, um explorador de Bitcoin. É aqui que você vê as transações registradas no “livro público mundial”, explicado no texto: “O que é Blockchain? Explicando essa tecnologia!“.

Blockchain.info print do explorador de blocos para exemplo de mineração de criptomoedas.

Em termos didáticos, a coluna da esquerda é como o computador processa a sua ordem de R$100,00 através de blocos, para serem confirmados como ordem legítima e para isso, um hardware tem que processar o bloco no termo “minerados” ou como está escrito na coluna abaixo de Últimos Blocos: “minado”.

A coluna da direita: é como podemos enxergar a informação vinda do computador. Em Últimas Transações, é possível ver que alguém fez uma transferência de US$17.551,62 para outro alguém. Isso também precisou ser minerado.

A importância das Mineradoras para a saúde financeira das criptomoedas!

O termo “financeiro” no caso dessa matéria é uma transferência #criptobancária. Acostume-se a esse termo recém criado 😉

E as transferências de criptomoedas precisam ser “minerados” constantemente, (24hs/7s/365d). Essa necessidade da rede continuar efetuando as operações, é devido a estabilização da rede e dos preços. Consequentemente, mantemos o valor financeiro da criptomoeda no mercado mundial, pelo simples fato das mineradoras em conjunto estabilizarem a velocidade de processamento através do Hardware.

Para “minerar” precisa ter Hardware! Como minerador, você ganha uma taxa financeira da blockchain por transferência #criptobancária na moeda que você está minerando. Ou seja, quem minera bitcoins, recebe bitcoins como recompensa. Quem minera ethereum, recebe ethereum de recompensa! E com esse valor ganho, pode-se transformar isso em dinheiro do mais variados tipos. Inclusive o real (R$).

R.O.I – Return Over Investment

Para ganhar dinheiro com a mineração de criptomoedas, é preciso pensar primeiro em ROI: Retorno do Investimento. Afinal, é preciso investir em um bom hardware para poder minerar uma criptomoeda. E geralmente, um bom hardware para ser competitivo na mineração, é caro! É por isso que o ROI deve ser bem pensado e bem calculado. Pois haverão perguntas como:

  • Quanto deve ser investido em Hardware;
  • Quanto dinheiro dá pra ganhar com a mineração à partir de uma determinada unidade de tempo;
  • Em quanto tempo começa a ganhar dinheiro?
  • Qual a configuração do hardware que preciso ter?

No entanto, essa questão não será abordada em outra matéria, específica sobre o ROI. Espero que tenham gostado dessa pequena introdução a um universo tão extenso e complexo!

Deixe uma resposta